EDIÇÃO 2017

O CINE FEST LUSO MUNDO  é um encontro audiovisual temático de freqüência da cultura lusófona. Sua primeira edição aconteceu em  Outubro na cidade de Bruxelas na Bélgica compreendendo projeções, debates, exposição e residência artística.

A mostra foi dedicada ao universo feminino dentro das suas nuances, com a presença de realizadoras visuais ou filmes englobando o tema “Mulheres e Musas”.

​Além de projeções de filmes (animações, documentários e ficções), o encontro contou com debates com a presença de militantes da temática e também uma exposição e uma residência artística  que aconteceu durante 15 dias com diretoras lusófonas e artistas e culminou numa produção audiovisual luso-belga, projetada ao final do evento.

Foram 40 exibições entre curtas, médias e longas-metragens em colaboração com produtores e distribuidores do Brasil, Portugal, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique, Angola e Galícia – todos territórios ou países da língua portuguesa.

A primeira edição aconteceu na Embaixada de Portugal, Embaixada do Brasil, Cinema Galeries, Consulado do Brasil, Les Cercle des Voyageurs e Centro Cultural Bruegel de Marolles.

Realização: Espírito Mundo

Parceria: Conselho de Cultura e Cidadania do Brasil na Bélgica e Luxemburgo, Oca ASBL e We Do ASBL

Apoio: Embaixada de Portugal, Embaixada do Brasil, Embaixada de Angola, APEX/Programa Cinema do Brasil, Centro Cultural Bruegel de Marolles, Associação Amigos de Moçambique, Produtora Terratreme, Crim Produções, Animais Animations, Parallax Produções, Portuguese Short Film Agency, TV Zero Produções, Zenit TV, Satírica Filmes, Milhomem, Mondocultures, District Creative, ENAR, e DABF – Coletivo de Diretoras de Fotografia de Cinema do Brasil.

RELAÇÃO DE FILMES

LONGAS

Então, morri – Bia Lessa, Dany Roland, 2016  (BR)

A Casa das Mães/ HOUSE OF MOTHERS, Philippe Costantini , 2015  (PT)

África Abençoada, Aminata Embaló /Monica Musoni, 2014  (GB)

Crônicas de Polyaris – The Cronicles of Polyaris, Christine Reeh, 2015  (PT)

Correspondências, Rita Azevedo Gomes, 2016  (PT)

Ama-San, Claudia Varejão, 2016 – Terratreme/Pedro Peralta (PT)

Alda et Maria/Por aqui tudo bem, Pocas Pascoal, 2011  (AG)

Virgem Margarida, Lucinio Azevedo, 2012  (MZ)

Nise, o Coração da Loucura, Roberto Berliner , 2015  (BR)

Njinga, Rainha de Angola, Sérgio Graciano, 2013 (AG)

Punhal,  Luiza Lubiana, 2015,  (BR)

Sukuru, Samira Vera Cruz, 2017  (CV)

A Via Láctea, Kátia Coelho, 2007 (BR)

Concepción  Arenal, La Visitadora de Carceles, Zenit TV, 2012     (GL)

CURTAS

A Dama do Peixoto – Direção de Fotog: Bia Marques, 2011 (BR)

Coisa de Alguém/LOST PROPERTY, Susanne Malorny, 2015 (PT)

Filhos da Lua na Terra do Sol, Danielle Bertolini, 2016   (BR)

Luana Muniz, Direção de Fotografia Alan Ribeiro e Bia Marques, 2016 (BR)

The Divine Luz Del Fuego, Ricardo Sá, 2017 (BR)

Tramonto/ Por do Sol Memória da Cor Matera Monica Nitz, 2014  (BR)

Pão/ pane Matera, Monica Nitz, 2014

Hora di Bai, Samira Vera Cruz, 2017    (CV)

Canal, Rita Nunes, 2014 (PT)

Diva, Direção de Fotografia Clara Bastos, 2016 (BR)

Heaven, Direção de Fotografia Joana Luz, 2016 (BR)

Na Minha Sopa Não, Luciana Baseggio, 2015 (BR)

Ascensão, Pedro Peralta, 2016 (PT)

A Passagem do Cometa, Direção de Fotografia Juliana Rojas, 2017 (BR)

Sem você a vida é uma aventura , Direção de Fotografia  Alice Andrade Drummond, 2015 (BR)

Sentido, Nina Fabico, 2017 (BR)

Miná Kiá, Kátya Aragão, 2017 (STP)

ANIMAÇÕES

A noiva do Gigante, Nuno Amorim, 2007 (PT)

Vacas, Isabel  Aboim Inglês, 2010 (PT)

Fragmentos de Sal, Cristina Teixeira, 2000  (PT)

De Cabeça Perdida, Isabel Aboim, 1999 (PT)

Trabalho do Corpo, Nuno Amorim , 2007 (PT)

Foi o Fio, Patrícia Figueiredo, 2015  (PT)

O Último Índio, Maria Teresa Murer, 2017 (BR)

EXPO “ÁLBUM DE FAMÍLIA” – DIVINA LUZ DEL FUEGO

De 23 a 29 de Outubro de 2017, District Creative – Galerie Ravenstein, Bruxelles Ville.002

Luz Del Fuego, cujo documentário ficcional será foi exibido ao longo da programação é emblemática no contexto do tema escolhido e daí a importância de representá-la também numa pequena exposição com imagens do álbum pessoal cedidas pela família de “Dora Vivacqua” e citações pessoais que demonstram claramente seu posicionamento de vida. São imagens que remetem ao seu percurso pessoal, político e artístico no contexto da sua militância na década de 50, no Estado do Rio de Janeiro.

Luz Del Fuego que teve reconhecimento internacional por sua ousadia numa sociedade e época conservadora – faria 100 anos em 2017 e foi brutalmente assassinada em sua ilha há 50 anos. Uma mulher que merece ser lembrada e respeitada por seu percurso.

PARTICIPANTES DA RESIDÊNCIA CRIATIVA LUSO MUNDO (ordem alfabética)

Coletivo de residentes

  • Alex Cepile (BR/IT)
  • Alexander Moust (NL)
  • Aline Yasmin (BR/IT)
  • Camila Amn (BR)
  • Danielle Bertolini (BR)
  • Ermeson Vieira  (BR)
  • Fernanda Gomes  (BR)
  • Humberto Ribeiro  (BR)
  • Ilária Orlandini (IT)
  • Katya Aragão (STP)
  • Leonardo Canzian  (BR/IT)
  • Leonardo de Souza  (BR)
  • Luciana Baseggio  (BR)
  • Monica Musoni (PT)
  • Milva Ghenda (FR)
  • Nina Rubinina (RU)
  • Samira Vera-Cruz (CV)
  • Seba Stianski (PL)
  • Vivian Antonio  (BR)
  • Tama Van Den Berghe (BE)